terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Atenção pais: Saiba como requerer judicialmente uma vaga em creche para seu filho (a)

Você, pai e mãe que enfrentam dificuldades para conseguir uma vaga para seu filho (a) em uma das creches de Jundiaí, confira passo a passo os procedimentos para requerer o seu direito judicialmente e divulgue para quem possa precisar:

1 – Junte a Certidão de Nascimento da criança; comprovante de endereço; carteira de Trabalho do responsável (ou comprovante de atividade informal); CPF e RG dos pais e responsáveis.
2 - Apresente à Defensoria Pública do Estado de SP que, em Jundiaí, fica na Rua Marechal Deodoro da Fonseca 646 - Centro. O atendimento é de segunda a quinta-feira, das 14 às 16 horas. É gratuito e só é atendido as famílias com renda inferior a 3 (três) salários mínimos para ser atendida pela Defensoria.
3 - No Judiciário, quando o juiz emite uma liminar, requisitará a vaga para a criança e essa receberá a vaga da creche que estiver disponível e não a vaga na creche mais próxima. Será de responsabilidade dos pais aceitarem ou não essa medida e, na contramão da questão, se não aceitarem, a criança ficará sem a vaga e também sem a chance de ser chamada novamente, pois ao ser atendida pela liminar, terá que sair da lista de espera (lista de inscritos).

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Trânsito e Transporte: os principais problemas para 2011

Foto: http://tudo-em-cima.blogspot.com/
Criamos este blog há pouco mais de 30 dias. Há duas semanas resolvemos fazer nossa primeira enquete, que contou com a participação de 127 votantes, que puderam expressar a opinião uma única vez, respondendo à seguinte questão:

Quais dos temas abaixo, ainda não resolvidos neste ano, deve ser prioridade em 2011 pela Prefeitura de Jundiaí?
(47%) Trânsito, transporte coletivo e mobilidade urbana;
(20%) Segurança, mais guardas municipais e câmeras de monitoramento;
(15%) Saúde, hospital regional, exames e internação de dependentes químicos;
(11%) Educação, creches em período integral e cursos profissionalizantes;
(4%) Cultura, incentivo às modalidades esportivas e grupos culturais;
(3%) Outra resposta, envie detalhes para imprensaorlato@gmail.com
Imaginávamos que o tema “Trânsito e Transporte” fosse despontar, mas não com essa diferença esmagadora sobre os demais itens. Isso mostra, guardadas as proporções da amostra e do perfil do público participante, como o descuido dos governantes municipais nos últimos 20 anos com o tema foi desastroso para nossa Jundiaí.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Obras na 9 de Julho: o buraco não para de crescer.


Esta semana um internauta me enviou um curioso e-mail a respeito da falta de segurança e a inviabilidade que as futuras manutenções às obras de canalização do Córrego do Mato, localizado à Av. 9 de Julho, estão trazendo e poderão trazer para a nossa cidade.

As referidas obras aumentaram a profundidade do córrego e o estreitaram, e para tanto foi utilizado gabeão (muro de contenção) feito com grades de aço galvanizado e pedras soltas em seu interior.

As preocupações do internauta, que não quis se identificar, foram as seguintes:

- O desassoreamento, fenômeno natural, que deixa, ao longo do tempo, terra no fundo e nas laterais do rio, tem de ser contido, e para tanto esta terra é retirada por meio de máquinas (escavadeiras/retroescavadeiras). O aumento da profundidade e a diminuição do cumprimento entre as margens do córrego não permitirão que os “braços” das máquinas atinjam o fundo deste, se for necessário minimizar os danos causados pelo desassoreamento; e ainda, em casos extremos, com a utilização dessas máquinas, a estrutura de contenção (gabeões) pode ser danificada, causando um total deslizamento das pedras contidas em seu interior. Portanto, como a prefeitura pretende realizar a manutenção (caso um dia isso ocorra) do córrego sem danificar o muro de contenção?

- Caso haja um acidente, p.ex., e um carro venha a cair dentro do leito do córrego (posto que não há proteção alguma , como guard rail etc), a diminuição da largura das margens pode impedir que as portas do veículo sejam abertas e o aumento da profundidade pode dificultar o socorro à vítima. Em época de chuva (dezembro/janeiro), um indivíduo pode, em casos extremos, morrer afogado. Como a prefeitura pretende trazer mais segurança nesta questão?

Aproveito este post para agradecer aos nossos internautas e ao mesmo tempo incentivá-los a ter “voz ativa” e a explorar as suas opiniões, sempre!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Carro cai em cratera da 9 de Julho



Sem sinalização na via, motorista de Fox perdeu o controle do veículo e caiu numa cratera medindo cerca de 4 metros de comprimento por 2 metros de largura, na esquina da avenida 9 de Julho com rua Eduardo Tomanik, por volta das 18 horas desta quinta-feira.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

O que o Cássio Gabus Mendes falaria sobre isto?

A 'decoração natalina' estilizada na avenida Dr. David Zoilo Morandini é da "Jundiaí do Futuro"?


E será que o cones "sentem" o compromisso com a avenida João Benatti e rua Bom Jesus de Pirapora?

Jundiaí 355 anos: uma pequena reflexão.


Jundiaí completou ontem 355 anos de vida. Ela foi elevada a categoria de vila em 14 de dezembro de 1655, tendo, obviamente, sua povoação iniciada muito antes desta data. De lá para cá muita coisa aconteceu e a cidade atualmente, de acordo com o último censo do IBGE, conta com uma população de exatos 370.251 habitantes, com um crescimento de 14,49% nos últimos 10 anos.

Agora quero atentar para um detalhe histórico. O dia 14 de dezembro foi feriado em nossa cidade apenas no ano de 2006. Sempre passamos a data de aniversário da cidade como um dia comum, sem relembrarmos ou refletirmos adequadamente sobre ela. Temos hoje monumentos históricos definhando, como é o caso da Ponte Torta (nesta foto em 1900), que demonstra o quanto o Executivo está preocupado com nossa preservação cultural.

O que seria melhor para nossa cidade: comemorar seu aniversário através de ações culturais e reflexivas, preservando assim nossa memória histórico-cultural ou atender aos apelos de nossos comerciantes que alegaram extremos prejuízos com o feriado em 2006? Dê seu comentário e vamos refletir juntos sobre esta delicada questão.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Miguel Haddad transforma em ações dívida da DAE S/A

É o puro exemplo de descaso com o dinheiro e o (ainda) patrimônio público. O prefeito transformou, com o auxílio da maioria dos vereadores de sua base política, a dívida da DAE S/A em participação acionária para a Prefeitura. Isso não significa que ela aumentou seu percentual, mas sim que “transformou em papel” mais de R$ 17 milhões de dívidas. Assim, ó: puft, sumiu! E a DAE se livrou das dívidas e as passou para a Prefeitura.

Há 10 anos votamos contra a transformação do DAE de Autarquia Municipal para Sociedade Anônima. Mas ele, o mesmo prefeito Miguel Haddad na época, conseguiu maioria na Câmara Municipal numas das manobras mais “sem sentido” feitas na cidade. Nosso DAE só não teve suas ações vendidas a particulares porque abrimos um processo na justiça.

Mas, como a DAE S/A se tornou uma empresa regida pelo direito privado, pagaria impostos e outras obrigações que antes não tinha. Calculamos, à época, que os impostos aumentariam os custos em cerca de 30%. Dito e feito: A DAE, superavitária enquanto autarquia, acumulou dívidas e dúvidas sobre sua existência como uma “Empresa S/A”. Por que foi feita essa manobra? Alguém se arrisca a responder?

OBS: O Projeto de Lei foi apresentado hoje na Câmara Municipal e votado em regime de urgência horas depois. O prefeito Miguel Haddad só faz audiências públicas quando lhe interessa!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Pedágio começa a ser cobrado na Jundiaí-Itatiba. Mas e a duplicação?

Anos e anos e a manchete se repete nos jornais da região: “Acidente e morte na Estrada Jundiaí-Itatiba”. As tristes estatísticas da rodovia Engenheiro Constâncio Cintra são tão recorrentes que, às vezes, nem paramos mais para prestar a atenção.

Tão comuns quanto as matérias sobre os acidentes, vinham as promessas da duplicação da estrada. E, finalmente, parece que a obra vai sair. Recentemente, porém, e infinitamente mais rápido do que pudéssemos vislumbrar a duplicação, começaram as instalações das cabines de pedágio.

A sociedade civil, vereadores das duas cidades e opinião pública foram unânimes em pressionar para que a cobrança da tarifa não acontecesse antes do final das obras de duplicação. Abaixo-assinado foi criado e até uma ação civil foi movida na promotoria pública.

Tais iniciativas pareciam ter surtido efeito. E realmente surtiram. Até o final das eleições, é claro. Tão logo acabou o processo eleitoral, vem a notícia de que a cobrança de R$ 1,85 para carros e R$ 0,90 para motos iria começar. E começou, hoje, desde a meia-noite.

Então, você amigo de Jundiaí que trabalha ou estuda em Itatiba, terá de engolir o pagamento do pedágio diariamente. Ah, a duplicação? A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos apenas em dezembro de 2011. Palavras do governador Goldman.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Planejamento cicloviário: será que um dia teremos?


Conforme já foi discutido neste blog, o trânsito de nossa cidade está cada vez mais se assemelhando aos caóticos sistemas viários das grandes metrópoles. Falta de planejamento urbano e sistema de transporte público falho são alguns dos pontos negativos de nossa cidade. No entanto nada justifica não termos ainda um planejamento cicloviário em Jundiaí.

É de extrema importância, para a melhoria do trânsito e de nossa qualidade de vida, a construção de ciclovias, conforme há tempos o site cidade democrática já vem nos alertando; porém, mais do que simplesmente construir uma ciclovia em alguma avenida importante, é essencial a reflexão de um planejamento cicloviário municipal.

Tal planejamento consiste em não só incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte como também enxergá-la dentro do contexto urbano existente para atender às necessidades reais dos ciclistas. O bom planejamento cicloviário necessita de segurança viária para circulação, bem como de infraestrutura adequada de estacionamento para bicicletas etc.

Passou da hora de refletirmos em todos os âmbitos sobre o assunto. Quando será que realmente nossos representantes irão enxergar de maneira séria a questão? E nós, quando e como cobraremos tal postura?

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Em apresentação, Baiano deixa recado à torcida do Galo



Em sua apresentação, Baiano deixa recado aos torcedores do Paulista. Autor de três gols pelo Galo no Paulistão deste ano, o volante espera retribuir o carinho dos torcedores com um bom papel dentro de campo. “Apesar de não termos conseguindo fazer uma campanha boa no Paulistão e a equipe ter passado por dificuldades, o torcedor esteve ao nosso lado e confiou. Agora, na minha chegada eu sou recebido com esse carinho. Isso me emociona e agora o pensamento é de fazer uma boa campanha com o Paulista, tanto no Paulistão quanto na Copa do Brasil".

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Falta água em oito bairros de Jundiaí

A assessoria de imprensa da DAE informou, na tarde desta quinta-feira (9), que oito bairros de Jundiaí sofrerão com a falta de água pelo menos até a manhã desta sexta-feira.

“Por conta de uma adutora que rompeu durante uma manutenção, vários bairros da cidade ficarão sem água. Ainda não há previsão de quanto tempo vai durar o reparo, podendo se estender até a manhã desta sexta”.

Os bairros afetados são: Vilas Rami, Jundiainópolis, Maringá e Comercial, Residencial Anchieta, Jardins Copacabana, Boa Vista e Martins.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Baiano está de volta ao Paulista

ASSISTA AQUI AO GOLAÇO DO MEIA EM JAYME CINTRA 

O meio-campo Baiano, que jogou pelo Paulista no primeiro semestre, e encerrou contrato com o Guarani recentemente, está de volta ao time de Jundiaí. A notícia foi divulgada por Adilson Freddo, na Rádio Cidade, em primeira mão e confirmada pelo gerente de futebol do clube, Marcos Bonequini.

O jogador optou por voltar a Jundiaí, cidade que teve grande identificação, deixando de lado propostas de salários mais altos e contratos mais longos como o sugerido pelo Bahia, que jogará a séria A no segundo semestre.

Baiano já mostrou seu caráter em sua primeira passagem pela cidade, levando o time ‘nas costas’ por muitas vezes, jogando machucado e mantendo a mesma raça até nos momentos mais difíceis em que o time correu sérios riscos de ser rebaixado.
Assim, a torcida está ficando cada vez mais confiante. Grande contratação!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Solo contaminado paralisa construção de shopping na 9 de Julho


As obras de terraplenagem do Jundiaí Shopping, empreendimento da Multiplan na avenida 9 de Julho, estão paralisadas.
O motivo é a contaminação em água subterrânea no terreno por metais, além de resíduos de areia de fundição. A constatação é da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). A inauguração do shopping está prevista para 2012 e o imóvel ocupará o espaço da extinta indústria Vigorelli.

Atualmente nenhuma máquina trabalha na construção do shopping, mas a retirada de terra praticamente já alcançou o nível da avenida.
Para quem se lembra da altura em que a indústria ficava, dá para se ter uma ideia de quanta terra já saiu dali. O volume total de solo movimentado até o fim da obra é estimado em 650 mil toneladas.

A Cetesb solicitou à Multiplan a caracterização do resíduo, ou seja, o envio de material para análise em laboratório, com o objetivo de identificar a composição do material.
A companhia identificou alteração da qualidade da água subterrânea pelos seguintes metais: alumínio, cobalto, manganês, ferro e chumbo. A destinação desse material também tem de ser autorizada pela Cetesb.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Região da 9 de Julho: o ‘buraco’ está mais embaixo


Há algumas semanas escrevi neste blog alertando para o descaso da Prefeitura para alguns bairros da periferia. Agora, retomo o assunto para um enorme descuido na talvez área mais nobre de nossa cidade.

A Rua João Canela, localizada no Jardim Brasil, ao lado do Shopping Paineiras, desde o ano de 1999 vem apresentando sérios problemas de deslizamentos de terra que já chegaram a interromper a nossa avenida mais importante, a 9 de Julho. Hoje em dia além de a rua não estar em condições apropriadas para o transporte de pessoas, carros (não tem calçadas, a rua contém amontoados de terra, etc), o problema do deslizamento está também afetando a estrutura dos imóveis ali presentes.

Tal fato vem sendo apresentado e ignorado pela Prefeitura e por seus devidos procuradores desde o inicio da era Haddad e Fossen (1999 a 2010). Diversas vezes, por meio de abaixo-assinados, comunicações isoladas dos proprietários, dentre outras, as vítimas deste descaso vem tentando junto à Prefeitura buscar soluções, mas a falta de interesse da municipalidade em resolver um problema que acabou por afetar as construções e causar um enorme prejuízo às vitimas, acabou por gerar danos que já extrapolam a faixa dos R$ 200 mil. E tudo o que a Prefeitura tem a dizer é que: “a municipalidade está preparando o projeto de estabilização de talude para fins de orçamento e possível licitação da obra”.

Isto ocorre desde 1999! Na periferia, a Prefeitura cobra IPTU sem dar contrapartida. Agora, em uma área extremamente importante para a cidade, onde acredito os impostos não devem ser baixos, foi deixado que um problema relativamente simples (caso solucionado no seu início) transformar-se em graves prejuízos para nossos munícipes.

Durval Orlato é premiado por instituto pela atuação como vereador em Jundiaí


O vereador Durval Orlato (PT) será premiado pelo Instituto Tiradentes, por sua atuação como vereador em Jundiaí. Ele receberá o ‘Colar de Prata’ – medalha Dom Pedro II – após pesquisa de opinião pública na cidade, com base em metodologia científica, em que mais de 1 mil moradores lembraram de Orlato ao responder à pergunta: “Na sua opinião, qual o vereador de Jundiaí é mais atuante?”.

De acordo com o diretor do instituto, Ângelo Chenquer, o prêmio é concedido apenas após criteriosa seleção, mesmo após a pesquisa, levando-se em conta “ilibada reputação ético-moral e significativos trabalhos prestados à comunidade”. Foram realizadas pesquisas sobre os vereadores de mais de 150 cidades brasileiras.


A entrega da comenda será feita em sessão solene ao final do XXXVIII Simpósio Brasileiro de Prefeitos, Vereadores, Secretários e Assessores Municipais, no dia 18 de dezembro, no Hotel Century Paulista, no bairro Paraíso, em São Paulo. “Fiquei muito feliz ao saber deste prêmio. É um reconhecimento de uma entidade tradicional e me dá ainda mais forças para continuar o trabalho por Jundiaí”, enfatiza Orlato.


O instituto


O instituto Tiradentes tem sede em Viçosa (MG) e tem a missão de contribuir para a valorização da cidadania, para o aperfeiçoamento da gestão pública segundo os princípios da inovação, da ética e da probidade administrativa, estimular e apoiar iniciativas de ação comunitária. Tem como patrono o mineiro Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes) que dá o nome ao instituto.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Aliados de Miguel Haddad impedem melhorias ao orçamento de Jundiaí

Orlato tentou aprovar
os pedidos da população
O orçamento público municipal é um do mais importantes projetos que são votados pelos vereadores todos os anos. O prefeito Miguel Haddad deveria, quando da elaboração dele, fazer várias audiências públicas para depois enviar o projeto de lei para a Câmara Municipal. Não é o que ocorre.

Assim, é natural que os vereadores recebam demandas dos bairros e de segmentos sociais para fazer um ajuste no orçamento. Isso é feito por meio das emendas. Cada parlamentar apresenta estas emendas remanejando verbas daqui e dali para atender a população.

Muito bem, fiz quatro emendas: R$ 200 mil para asfaltar algumas ruas da Vila Municipal; R$ 200 mil para “bocas de lobo” na Vila Municipal; R$ 250 mil para cobrir a quadra do Centro Esportivo “Sororoca” e R$ 250 mil para subvenções a entidades assistenciais. De onde retirei os recursos? De uma previsão orçamentária feita pelo Prefeito Miguel Haddad, para a Secretaria de Comunicação Social, no valor de R$ 5,7 milhões para gastos com publicidade.

Estas emendas foram impedidas de se tornar benefício para a população, rejeitadas pela Comissão Mista da Câmara. Conheça os vereadores que rejeitaram estas emendas:

Paulo Sérgio Martins (PV)
Ana Tonelli (PMDB)
Antonio C. Pereira Neto, Doca (PP)
Fernando Bardi (PDT)
Marcelo Gastaldo (PTB)
Domingos Fontebasso (PSDC)
Gustavo Martinelli (PSDB)
Leandro Palmarini (PV)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Acreditar, sempre!

:: temmais.com :: Torcedor do Galo está feliz com o título

O campeonato pode não ter sido o mais importante, o elenco pode não ter sido o melhor, a final pode não ter sido a mais brilhante...

Mas foi na raça e superação que o Paulista de Jundiaí renovou os laços com sua torcida, orgulhosa novamente do time da cidade no último domingo. Àqueles que acreditaram até o final vai aqui a homenagem: Vale a pena torcer pelo nosso time, pela nossa cidade. E que seja assim, num ambiente como o desta final, durante todo o próximo ano. Perdendo ou ganhando, a maioria incentivando, torcendo...

Já à ‘turma do amendoim’, que mais uma vez saia de fininho cinco ou dez minutos antes do final do jogo, sussurrando frases como “o Paulista não tem jeito mesmo”, ou “toda vez é assim”, vai um pedido: fiquem em casa da próxima vez!

É claro que a cidade se mexe mais, a mídia dá mais destaque e tudo conspira a favor quando o time está bem. Mas, de “torcedores” oportunistas que só sabem criticar e não têm um mínimo laço afetivo com o Galo o clube não precisa.

Essa lição do esporte pode ser levada adiante também nos outros setores da sociedade, no nosso dia a dia. Acreditar, sempre! Pensem nisso!


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Jundiaí cresce, mas a que preço? (p.1)

Estão aprovadas na Prefeitura – dentre imóveis habitacionais, comerciais e industriais – 15 mil novas unidades. A maioria habitacional. Se nos próximos três anos estas construções estiverem prontas, teremos um crescimento e tanto (hoje são cerca de 90 mil imóveis na cidade). Mais gente, mais carros, mais consumo, mais utilização de leitos hospitalares, escolas e creches, trânsito, enfim... a cidade tem de crescer junto, ou na frente, se possível.

A maioria dos novos proprietários é das classes A, B e C porque as famílias das classes D e E terão poucas oportunidades. Muitos jundiaienses tradicionais verão seus filhos sem condições de morar na cidade de seus pais. É quase um 'apartheid imobiliário': os que têm condições financeiras vêm morar em Jundiaí. Os que não têm, vão para as cidades vizinhas. Mas é inegável que vamos receber o fluxo de toda a região para entretenimento, trabalho, comércio e outros. Estamos preparados?

A qualidade de vida, a considerar pelo desdém estratégico do atual prefeito Miguel Haddad (que já foi prefeito noutras duas oportunidades e é um grande “latifundiário urbano”), pode piorar daqui pra frente. Numa cidade rica como a nossa, uma das maiores economias do Estado, isso não poderia estar acontecendo.

Posso dar uma ‘olhadinha’, amigo?

Diariamente nos deparamos com situações que acabamos por incorporar ao nosso dia a dia e não nos atentamos para absurdos a que somos submetidos. Falo isso, neste caso, me referindo à onda de flanelinhas pelas ruas da cidade.

Sei que não é um problema apenas de Jundiaí e que as polícias e guarda municipal pouco podem fazer para inibir a ação. Sei também que muitos ali estão nessa atividade informal, pois não tiveram uma oportunidade de trabalho como a maioria de nós.

Mas, será justo para nós, munícipes, deixar nossos carros nas ruas, pagar o estacionamento rotativo - mais que necessário no Centro – e mesmo assim ter de remunerar os que ‘guardam’ o seu carro para não ser alvo de retaliações ou vandalismo? Sim, todos nós sabemos que essa coação, mesmo que camuflada, existe.

Os donos do pedaço estão em todas as partes onde se concentrem alto número de automóveis e pessoas: estádios, hospitais, centros comerciais... Muitas vezes, chegam ao absurdo de tabelar os valores.

Há uns três anos, trabalhando pelo Jornal de Jundiaí, fiz uma reportagem em que entrevistei flanelinhas orgulhosos por atingir ‘salários’ mensais de até R$ 2,5 mil. Trabalhavam em esquema de rodízio e chegavam a ter até ‘patrão’. Ou seja, sempre esteve deflagrada essa ‘indústria da olhadinha’ e não sabemos para quem reclamar. Alguém se habilita?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Rio Acima / Chácara Companheiros: Bairros esquecidos


Há aproximadamente três anos a prefeitura de nosso município começou a cobrar IPTU nos bairros Chácara Companheiros e Rio Acima. Até aí, tudo normal. Mas acontece que a prefeitura vem ferindo a nossa Constituição.

De acordo com nossas leis, para uma área rural virar zona urbana a Prefeitura deveria criar condições básicas de infra-estrutura na região, tais quais asfalto, rede de esgoto, transporte adequado, água e energia satisfatória etc. O asfalto não chega nem perto da Chácara Companheiros. E o pior é que toda eleição ocorre a mesma estória: semanas antes do pleito, funcionários da prefeitura medem a Av. José Manuel da Silva, que liga o Rio Acima ao Parque do Corrupira, passando pela Chácara Companheiros, dando a falsa impressão de que um dos problemas da região será solucionado. Passa-se o tempo e o problema persiste...

Além disso, existe o sério problema das constantes faltas de água e energia, falta de rede de esgoto (Ué, a prefeitura não anuncia que tem quase 100% de seu esgoto tratado!?!?), além do péssimo atendimento prestado pelas linhas de ônibus da região, problema inclusive já exposto recentemente pelo Jornal de Jundiaí. Para cobrar o IPTU a prefeitura é rápida e eficiente, mas e agora, quando as necessidades da população serão atendidas?

Prefeitura corta recursos e ATEAL pede socorro

Recebi hoje um e-mail, de um grupo importante na cidade, pedindo empenho para ajudar a Associação Terapêutica de Estimulação Auditiva e Linguagem – ATEAL, conforme segue:

Informo a todos que a Secretaria de Educação de Jundiaí está cortando a verba de atenção educacional ao deficiente auditivo, assistido pela ATEAL, em 40% para o ano de 2011. É uma atitude que não considera o percurso profissional daqueles que se especializam e buscam ajudar o poder público naquilo que não é seu foco. Ao mesmo tempo nos vemos sem perspectiva para continuar querendo ajudar ao poder público na construção de políticas públicas que se fortalecem pelo conhecimento científico e acima de tudo pela experiência, competência profissional, tecnologia, metodologia e resultados”.

Jundiaí é uma das cidades mais ricas do estado, não pode dizer que não tem dinheiro para isso ou aquilo, ainda mais quando corta recursos de crianças deficientes. A se confirmar tal intento, o prefeito Miguel Haddad deve urgentes explicações.

Paulista resgata paixão do jundiaiense

No último sábado tive o prazer de estar na caravana do Paulista que foi até Campinas prestigiar o time contra o Red Bull, na primeira partida da final da Copa Paulista. Se não foi uma invasão como nos velhos tempos, em que até 50 ônibus acompanhavam o time em jogos decisivos fora de casa, a torcida do Galo deu uma lição de fidelidade e amor ao time justamente no campo do adversário com o qual tem a maior rivalidade histórica.

Foram cinco ônibus e mais alguns carros particulares que, devagarinho, chegaram ao Estádio Moisés Lucarelli (campo da Ponte Preta) para dar o tom da festa. Foi um prazer encontrar velhos e novos torcedores que mostraram que a tradição e paixão alcançadas em décadas de sofrimentos, vitória e derrotas jamais serão atingidas por clubes como o adversário da final. Um time-empresa, com organização invejável, porém sem o principal: a torcida. Ficou clara a artificialidade dos que por lá torciam pelo time instalado, por assim dizer, em Campinas.

Apesar da maioria em número, a torcida da casa foi sufocada pela engajada caravana jundiaiense que, pelo contrário, têm verdadeira ligação com o time e a camisa. Mais bonito ainda foi ver torcida e os novos dirigentes do clube, gritando e sofrendo, juntos, nas nem tão confortáveis arquibancadas atrás do gol do estádio. Exemplo e retrato de que o Galo está, finalmente, no caminho certo. Domingo é dia de selar a nova fase, agora em casa e, quem sabe, com o título.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Dia da consciência negra



Aqui nossa homenagem à comunidade negra (20/nov) dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. Data é referência à morte de Zumbi dos Palmares.

Momento importante para aprofundar nossos conceitos sobre as formas de inclusão social e não deixar acontecer na sociedade contemporânea as "novas formas" de exclusão, travestidas de preconceitos, individualidades e indiferenças.

Vídeo: Grupo Ladysmith Black Mambazo. Música: Homeless

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

E você, se lembra?!?

Recomendo que assistam atentamente ao vídeo acima, interessante trabalho do jovem Filipe Mantovan e equipe, pela JPTV (Band Regional), sobre a memória curta de parte dos eleitores.

Em enquete pelas ruas de Jundiaí, menos de dois meses após as eleições, praticamente nenhum dos entrevistados se lembrou em quem votou para presidente, deputados, senadores e governador.

E, pior: recorrem à boa e velha generalização. “Não adianta lembrar e cobrar, porque ninguém vai fazer nada mesmo”, dizem. Tem também aqueles que não têm a mínima vergonha em dizer que “apertou qualquer botão e confirmou” ou “escolheu pegando o santinho no chão das ruas”. Seria cômico se não fosse trágico.

Se você que assiste à reportagem também pensa assim, está na hora de parar e refletir. Já você que não se conforma com este tipo de pensamento, passe adiante e faça novas pessoas refletirem. Independente de candidato, partido ou coligação, não dá mais para pensar assim. Vocês concordam?!?