domingo, 19 de março de 2017

0,25%: CPMF da Previdência, por que não?

Ao invés da desgastada Reforma da Previdência proposta pelo Presidente Temer (aliás, a quinta mexida em apenas 30 anos¹), por que não criar uma Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira – CPMF exclusiva para contribuir com Previdência Social? Por 10 anos? Uma cota de 0,25% seria suficiente para não sacrificar milhões de pessoas com a nova proposta de idade mínima e 49 anos de contribuição, um despropósito para a realidade brasileira. Neste período seria mantido a fórmula 85/95 em vigor para aposentadorias em geral e uma ampla revisão poderia ocorrer para ofertar uma proposta mais moderna e definitiva, e não punitiva sobre os mais pobres. 

A conta não fecha e o consenso também não. Hora porque é dito que as contribuições formais não são suficientes para manter uma população cada vez mais idosa e com a natalidade em queda. De outro lado, o Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS, também absorve as aposentadorias rurais, as assistenciais e se mantém na finalidade de reduzir a pobreza no país. Também atribui-se ao uso desmedido da Desvinculação de Receitas da União – DRU o aumento nesta discordância no fechamento das contas do sistema. As dúvidas e desconfianças, sobre políticos e instituições governamentais, não permitem um entendimento mais adequado e justo no momento.


Desta forma, fica aí minha proposta e contribuição para o debate.



¹ Emendas Constitucionais (E.C.) nºs 3/93, 20/98, 41/03, 47/05, 70/12 e 88/15.

sábado, 4 de março de 2017

Pão integral com copa lombo e parmesão

Compartilho minha receita própria de um pão especial, integral e fácil de fazer.

Na época da ditadura militar, quando algumas matérias para os jornais eram previamente censuradas, costumava-se publicar no lugar alguma receita culinária para mostrar que matéria original foi vetada. Não é o caso aqui, óbvio. Como é a primeira postagem de receita culinária no meu blog, lembrei dessa história dos anos de chumbo. Culinária também é uma de minhas paixões além de política, família e religião.

INGREDIENTES:

1 ½ xícara de chá de leite morno para frio
2 ovos
½ xícara de chá de óleo (de girassol ou milho)
2 tabletes de fermento biológico (ou duas colheres de sopa de fermento biológico seco)
2 colheres de sopa de açúcar (pode ser demerara ou mascavo peneirado)
1 colher de chá de sal (uma pitada)
200 gramas de copa lombo em fatias finas
100 gramas de queijo parmesão ralado médio (melhor se ralar na hora do preparo)
1 xícara (200 ml) de chá de farinha sem glútem (preparo a base de fécula de mandioca e farinha de arroz)
3 xícaras (200 ml) de chá de farinha de trigo integral

MODO DE PREPARO:

  • Bater no liquidificador o leite, o óleo, os ovos e o fermento (esfarelado, não tablete inteiro), colocar o açúcar e o sal.
  • Misturar os dois tipos de farinha numa tigela até ficar homogêneo.
  • Picotar com a faca as fatias de copa lombo em pedaços pequenos (cerca de 1 cm)
  • Colocar a mistura batida na tigela e misturar inicialmente com uma colher grande. Depois continuar com as mãos. Acrescente a copa lombo fatiada e o parmesão ralado e misture bem. Se necessitar, acrescentar um pouco mais de farinha de trigo integral.
  • A massa pode ficar mole, pois a farinha integral tende a absorver mais a umidade depois. Alguns pedaços de copa lombo ficarão expostos, não tem problema.
  • Separar a massa em dois pedaços e colocar nas formas untadas com manteiga (ou em uma assadeira grande, separados). Deixar a massa descansando por 30 minutos.
  • Levar ao forno (180º) por 30 minutos ou até a superfície ficar dourada.

Alimento muito legal para o café da manhã ou acompanhar uma boa cerveja.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Campola no rumo certo

Tenho observado junto à população de Campo Limpo Paulista que eles acreditam na seriedade que o Prefeito Dr. Japim Andrade e o Vice-prefeito Aléssio Grandizolli tem com gestão da cidade, já evidenciadas nestas quatro primeiras semanas de governo. Com um orçamento geral estimado em R$ 182 milhões para 2017 e uma dívida herdada das gestões anteriores em R$ 98 milhões, levantada até o momento, o novo governo precisará de “coragem pra fazer diferente” (como diz o novo slogan).

No total da dívida está incluso atrasos com fornecedores, funcionários, INSS e prestadores de serviço. Apesar dessa dificuldade financeira, coragem não falta. Tenho acompanhado diversas reuniões e vejo a motivação e empenho de todos em trabalhar muito pela cidade. A gestão do hospital foi a primeira mudança para proporcionar a ampliação nos serviços, que será seguida de outras atividades que logo vão mostrar a diferença.

As equipes fazem um “pente fino” nas dívidas, negociam redução de valores com fornecedores, cancelam contratos ineficazes e/ou sem prioridade, controlam os gastos, etc. Tudo para por a casa em ordem e sanar as pendências, até o meio do ano, pelo menos. E o “Doutor Japim” ainda arruma tempo pra ir a feira-livre, visitar escolas, centros esportivos e atender a população.

Ajeitando melhor as finanças da cidade, tem mais desafios que devem ser superados este ano: melhorar e regularizar a oferta de remédios e exames médicos, buscar parcerias e organizar os serviços de tapa-buracos e sinalização das ruas, ampliar as rondas da guarda municipal nos bairros, dar manutenção nos prédios públicos, melhorar a iluminação nas vias e praças, centros esportivos, etc.

Incansáveis, trabalhando 10 horas por dia no mínimo, nosso Dr. Japim, Aléssio e demais secretarias se desdobram para fazer jus ao que dizia a frase de campanha: “pra cuidar da nossa gente”. Parabéns a tod@s, tenho orgulho de contribuir com essa gestão.